Influência materna é fator determinante do risco de Alzheimer, aponta pesquisa

Novas descobertas em relação ao estudo da doença de Alzheimer. Uma pesquisa recente sugere que o risco de desenvolver a doença é fortemente influenciado pelo lado materno.

Mãe e filha

Em 2020, mais de 55 milhões de pessoas em todo o mundo estavam vivendo com demência. A doença de Alzheimer é a forma mais prevalente de demência, representando 60-70% de todos os casos. Além disso, espera-se que o número de pessoas afetadas pela demência quase duplique a cada duas décadas.

Frente a esses números alarmantes, encontrar maneiras de diagnosticar, tratar e até prevenir a demência tem sido um objetivo importante para muitos especialistas. Um novo estudo representa mais uma etapa na compreensão da doença.

Publicado no JAMA Neurology, a pesquisa mostrou que indivíduos com histórico de perda de memória materna apresentavam um risco maior de desenvolver a doença de Alzheimer em qualquer idade, em comparação com aqueles que tinham apenas histórico paterno de perda de memória (ou nenhum histórico familiar de perda de memória).

No entanto, de acordo com o Science Alert, se o pai de uma pessoa tivesse uma perda de memória de início precoce (antes dos 65 anos de idade), também apresentava um risco maior de desenvolver a doença de Alzheimer.

 

Estudo revela que risco de Alzheimer é influenciado pelo lado materno

O estudo analisou dados de 4413 pessoas com idades entre 65 e 85 anos que não apresentavam distúrbios cognitivos ou de memória. A grande amostra do estudo é um ponto positivo, permitindo uma interpretação mais precisa dos resultados em comparação com pesquisas anteriores.

Apesar da amostra ser significativa, ela não representava completamente a população, uma vez que a maioria dos participantes era de ascendência branca.

Alzheimer

Os participantes faziam parte do estudo "Tratamento Anti-Amiloide na Doença de Alzheimer Assintomática", um ensaio clínico de fase 3 que investiga um medicamento que os pesquisadores esperam que possa retardar a progressão dos problemas de memória.

Sua função cognitiva foi avaliada usando perguntas do mini-exame do estado mental, amplamente conhecido. Além disso, a tomografia por emissão de pósitrons (PET) também foi usada para analisar seus cérebros em busca de marcadores da doença de Alzheimer e determinar seu risco de desenvolvê-la.

Os pesquisadores estavam principalmente interessados na presença de placas amiloides, que são uma das duas características da doença de Alzheimer. Essas placas tóxicas se formam quando fragmentos de proteínas, chamadas beta-amiloide, se acumulam.

A hipótese era que essas placas amiloides acumuladas são as principais culpadas por danificar e matar as células cerebrais (neurônios), resultando na doença de Alzheimer. A segunda característica da doença de Alzheimer é a proteína tau, que não foi avaliada neste estudo.

Acredita-se que o acúmulo de beta-amiloide seja um precursor proeminente da doença de Alzheimer, uma vez que as pessoas podem ter níveis elevados de amiloide anos antes de apresentarem problemas de memória.

Alzheimer

Os resultados dos exames PET mostraram que os participantes com histórico materno de distúrbios de memória (independentemente da idade em que começaram os problemas de memória) apresentaram níveis mais altos de beta-amiloide.

De fato, os níveis de amiloide eram significativamente mais elevados, em média, nos participantes com histórico materno do que nos participantes com histórico paterno de distúrbios de memória.

Os participantes cujos pais apresentavam perda de memória de início precoce (antes dos 65 anos) também mostraram níveis mais altos de beta-amiloide.

Em comparação, os participantes com apenas histórico paterno de perda de memória tardia (que ocorre após os 65 anos de idade) e aqueles sem histórico familiar de perda de memória apresentaram níveis normais de beta-amiloide.

 

Por que isso acontece?

Os pesquisadores ainda não compreendem completamente essa conexão. No entanto, uma teoria sugere a disfunção das mitocôndrias. Essas estruturas fornecem energia dentro de nossas células e são herdadas apenas do lado materno.

As mitocôndrias possuem seu próprio DNA, que pode conter mutações que levam ao mau funcionamento. Pesquisas anteriores já mostraram que a disfunção mitocondrial está associada à doença de Alzheimer.

Representação do cérebro sob drogas psicadélicas

Dado que o cérebro é um órgão altamente energético, consumindo cerca de 20% da energia do corpo, Rahul Sidhu, candidato a doutor em neurociência na Universidade de Sheffield, considera que não é surpreendente que a disfunção mitocondrial possa levar a déficits cognitivos - e potencialmente à doença de Alzheimer.

A mensagem principal do estudo é que o risco de uma pessoa desenvolver a doença de Alzheimer pode depender se ela herdou a doença da mãe ou do pai, bem como da idade dos pais quando a perda de memória começou.

Portanto, considerar o histórico parental específico do gênero pode ser crucial para identificar aqueles com maior risco de Alzheimer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em 2024, o vulcão Etna registrou uma série de erupções que resultaram em um aumento significativo em sua atividade. Desde então, observadores têm testemunhado um contínuo crescimento da montanha, com emissões de cinzas e lava que têm impactado a região ao redor. Especialistas em vulcanologia estão monitorando de perto a situação, em alerta para possíveis novas erupções e seus possíveis efeitos na área circundante. A comunidade local também está atenta e se preparando para lidar com quaisquer cenários possíveis que possam surgir.

  1. Demonstrar conhecimento através de gestos e postura corporal
  2. Ter um olhar atento e expressivo durante uma conversa
  3. Mostrar interesse em aprender e se atualizar constantemente
  4. Ter habilidade para resolver problemas de forma rápida e eficiente
  5. Utilizar linguagem corporal confiante e assertiva
  6. Demonstrando empatia e compreensão nas interações com os outros
  7. Ter um bom domínio de assuntos variados e ser capaz de contribuir de forma inteligente para as conversas
  8. Mostrar criatividade e originalidade em suas ideias e soluções.